sábado, 16 de novembro de 2013

Quem me dera um " pôr-do-sol"

QUEM ME DERA UM "PÔR-DO -SOL"
A TEU LADO, MEU AMOR!
OLHAR O MAR
BEIJAR O CÉU
TOCAR O INFINITO...
QUEM ME DERA ESSE LUGAR
PLENO DE LUZ
DE MIM TÃO PERTO
NESTE SONHAR
DE TE ABRAÇAR
E UM BEIJO TEU
PLENO DE MAR...
QUEM ME DERA O TEU OLHAR
O TEU AMAR
AO PÉ DO MAR
O MEU AMAR
DE TANTO MAR
QUEM ME DERA O TEU OLHAR!

MANUELA BRAVO

domingo, 10 de novembro de 2013

Meu doce e sublime Alentejo

Meu doce e sublime Alentejo

Deixo as palavras ondularem nas linhas desta poesia
para falar de ti, meu doce e sublime Alentejo…
Um dia parti … num andar vacilante,
na desordem do meu silêncio
com lágrimas de dor e gritos mudos,
fragmentos de uma vida … espalhados na alma.
Trouxe a saudade,
dos lugares encantados que ficaram na memória…
os cantos e recantos que me prenderam
e se tornaram alicerces daquilo que fui e sou…
És uma terra única,
abraçada a um imenso mar e vastas planícies
salpicadas com a brancura alva das tuas casas
de soleiras enfeitadas com vasos floridos
que te dão cor e vida…
Alentejo de solitária beleza, encantas e despertas emoções
nas mais belas sensações,
que o silêncio das horas roubou ao tempo
e a natureza pintou numa aguarela tão bela!...
Pinceladas multicores na tranquilidade
de um mundo delicioso de sabores …
aromas … odores…
Aves brancas sobrevoam o céu sempre tão azul e luminoso,
numa dança graciosa embalada pela brisa…
Searas ondulam ao vento exalando centelhas douradas de luz…
Campos exuberantes pontilhados de um verde aveludado
no forte aroma da gastronomia,
em perfeita harmonia com a tua beleza.
No silêncio da humildade,
o orgulho da minha gente … sempre presente…
Sonho … luta … razão
de uma natureza que canta a vida
e a espelha docilmente,
de uma forma eloquente…
Coros de cigarras em orquestras d’emoção
campos salpicados de vermelho de pura paixão.
Tapetes de papoilas frágeis e singelas
que na antonímia da verdade são fortes e resistentes,
baloiçam ao vento em sopros de esperança
com olhos cheios de sonhos,
sangue da nossa alma alentejana.
Noites límpidas com estrelas cadentes a rasgarem os céus,
bordadas com mãos entrelaçadas em laços de paz,
na magia sedutora que resplandece e fortalece.
Em passos cadenciados
embriagados pela emoção,
desenho palavras com pétalas das tuas cores,
desse paraíso que é uma nesga de sol,
que eu abraço na campânula dos meus sonhos
de um dia voltar…
Mariana Loureiro

terça-feira, 8 de outubro de 2013

CAPITÃO SEM MAR


CAPITÃO SEM MAR
Mar revolto oceano pacifico
no meu barco zarpei sem destino.
Fui capitão sem barco
e marinheiro sem mar, 
um guerreiro sem armas.
Mil vozes comandei
sem exercito fiquei!
Mil ventos e tempestades lutei ,
mas de todos os tormentos que eu passei,
o que mais lamentei,
foi não ter-te ao meu lado.
Que triste destino não te encontrei!
Minha sereia princesa dos mares.
Ao Zeus roguei pragas
e tumultos passei.
Capitão sem capitania,
de todos os portos
que atraquei.
Só num fiquei!
O do teu coração onde eu amei.
AUTOR: Jorge Ferreira

sábado, 1 de junho de 2013

EU ACREDITAVA POR FERNANDA LOPES



Eu acreditava

Eu acreditava
Se me dissessem que o sol se perdia atrás dos montes
Que a água que mata a sede secava em todas as fontes
Que os rios, mesmo os maiores, deixariam de correr
Que a lua se apagava e não voltava a aparecer

Eu acreditava
Se me dissessem que o mar na sua imensidão secava
Que as ondas ficavam paradas no areal

Que o vento perderia a força que o faz correr ,
Varrer, levar tudo pela frente, verdadeiro vendaval

Que dias seriam noites e estas trocadas pelas manhãs
Que as searas não secariam nos campos de terra árida
E os frutos seriam cerejas vermelhas, nozes e avelãs

As crianças pilotavam aviões e conduziam canhões
Que a fome acabaria ninguém mais morreria
Que a guerra terminaria com um aperto de mão
Haveria uma só lingua, raça, credo e nação

Que a chuva só caia quando fosse desejada
E a neve só descia pelas montanhas e vales

As flores abriam pela manhã e soltavam gargalhadas
As estrelas apagadas perdiam-se na escuridão

Não haveria mais lágrimas nos olhos de uma mulher

Que o amor existiria em tudo e em todos os cantos

Que eu morreria por querer, já cansada de viver

Mas que o teu coração,
por mim parasse de bater
nem na hora de morrer
no teu peito a minha mão

Acredita meu amor
que eu não duvidaria
nem por menos de um segundo
que o teu amor por mim

era maior do que o mundo!
fcl

quinta-feira, 30 de maio de 2013

HOJE POR CELESTE LEITE

HOJE
Hoje escrevo para ti, talvez pela necessidade de ouvir a tua voz.
O silêncio destes dias faz-me mal, agoniza-me a mente.
Queria o impossível...... talvez! 
Queria que estivesses na minha vida mais presente.
Sonhava tocar o teu corpo com estas delicadas mãos,
Ver nos teus olhos o desejo e trocar longos beijos de paixão.
Mas foi tudo um momento de ilusão, rumo que virou direcção.
Já não sentirás o meu cheiro à noite a rosas e flores campestres
Já não ouvirás o meu grito de amor na ave sobrevoando o céu
Retiraste-me o véu, impediste-me de sonhar
Colocas-te vendas nos teus olhos que o mar teima abraçar.
Hoje rompo o silêncio deste corpo,
Que um dia quis, contigo......... navegar.

Celeste Leite

TRIBUTO a Nelson Mandela Por LURDES HENRIQUES

Tributo a Nelson Mandela.

Ser humano de coração humilde
ao apartaid,respondeu em dar as mãos,
á separação, respondeu união
ao conflito,respondeu paz.

No seu coração
couberam todas as raças e cores
apesar de ter sofrido,não quis vingança
quis esperança,soube perdoar
e a todos quis juntar.

Tudo fez para seu país ser livre
sem preconceitos ou vinganças
quis igualdade,fraternidade
apelou á paz,para nova vida começarem
Um novo país erguerem
e mais tarde,todos os frutos colherem.

Deu o exemplo
não quis luxos
vive onde vivia,era o que queria
ali se sente feliz,não liga ao que se diz
ou que se pensa.
Quer sua liberdade,não quer riqueza
porque a riqueza aprisiona
e preso já tinha sido.

Lutou por um país sem rancores
apesar dos dissabores,
não foi perfeito,há sempre quem queira manipular
mas apesar de tudo,conseguiu unificar
e mostrou como se pode construir
uma grande Nação.

Lurdes Henriques.

sábado, 25 de maio de 2013

Sentido Por Fátima Abrantes



Primavera POR Maria de Morais de Sá


Poema distinguido pela administração do grupo arte das letras perdidas  com o 1 lugar no concurso com tema Primavera 
  

Primavera!

Desperta!
Chegou a hora…!
As sementes estão prontas a germinar!
Que fazes tonta?
Não sabes que tens de acordar?

Arrebita as cores e os matizes!
Chama as vozes e pios
que adornam o semear
transforma o vento em breve brisa
e que o sol venha queimar!

Refresca a noite
mas só até ao meio dia
que os campos tens de lavrar.
Derrete o gelo que até aqui dormia
Porque a água tem de passar!

Chama o esvoaçar
das asas emigrantes
e os verdes que se desenham
este quadro a pintar!
Faz murmúrio em todo o lado
e ouve o seu belo cantar!

Vai por mim que sou Inverno
E já basta de tanto invernar!

Maria Morais de Sa
MMXIII
V
XIV
Imagem de Boticelli extraída do Google

A dança das flores por Céu Pina

TEMA: PRIMAVERA

A dança das flores


Lá vem ela...
Rainha esperada,
Ilude estações.
Vento carregado,
Leva pólen de flores.
Aragem suaviza,
Tranquilidade encobre.
Seus segredos...
Só a alma os escuta,
Graciosidades, esplendor em botão.
Circo de vida...
Deslizam...
Instantes mágicos...
Libertam virtudes,
Gérmen convertidas.
Sorridentes e formosas,
Fragrância de lembranças,
Esperança pintada.
Borboletas, passarinhos,
Tudo se revela.
Melodia de pétalas,
Unem-se...
Poesia e filosofia,
Numa dança de cores.
Desfila a Primavera,
Respiro fantasias.
Reconciliação chega.
Floriu a noite,
Exalam paixões,
Colorindo o amor.
Trazendo paz aos corações.


21-05-2013 Céu Pina

sexta-feira, 24 de maio de 2013

PRIMAVERA AUTOR TINA GANT

                                  3º LUGAR CONCURSO PRIMAVERA  

PRIMAVERA

Chegou a Primavera,
A mais charmosa das estações
Traz consigo beleza, mística flor
Brilha o sol ergue-se a lua
Na paisagem que flutua
Anda um êxtase de amor.
Ao sopro débil do vento
abana canteiros de jardim,
Cravos, rosas, e também o jasmim.

Que linda é a Primavera
As belas flores nos canteiros abrem
Os passarinhos cantam dentro dos ninhos
à espera que nasçam os seus filhinhos.

Se o frio da Primavera teu peito apertar,
arrasar ou esmorecer,
Não te esqueças de que aqui eu estarei
e ficarei feliz em aquecer-te.

Pois é tão precioso o nosso amor
A nos unir em deliciosa emoção
que vais morar
Por toda a vida
Num cantinho do meu coração.

A beleza harmoniosa
Em vários tons.

E nós a sorrir
Nesta Primavera tão linda
Que nos dá muita felicidade
faz com que juntos
De mãos dadas a festejemos.

Tina Gante !! ♥

PRIMAVERA AUTOR CELESTE LEITE


                      3º LUGAR  CONCURSO PRIMAVERA 





PRIMAVERA

A Primavera é como uma gota
De água límpida na pétala de uma flor,
Que brilha intensamente como o amor,
Num leve oscilar pela vida .
E cai suave com o renascer do dia
Por entre os raios de sol e seu calor.

De tão delicada que é,
Tem flores e amores de todas as cores
A brotar em botão de qualquer pé.
E cresce nos canteiros viçosamente
Trazendo-nos alegria constantemente,
Na contagiante felicidade de cores e odores.

Que cresçam todas as flores neste sonho acordado
Nos olhos que brilham deste abraço dado
Quando corremos nos campos de braços abertos
Mostrando os belos caminhos da natureza, libertos!

Celeste Leite

PRIMAVERA AUTOR VERUSKA BASTOS


                                               3º LUGAR NO CONCURSO PRIMAVERA 











PRIMAVERA

Passei frio,
longos e imensos meses de chuva,
esperei por ti dias a fim...

Ao primeiro rebento de cor verde,
ao planar único da borboleta,
ao relinchar alegre de cada pássaro,
ao sorriso de cada criança na rua
podendo de novo jogar á bola,
cheira-me a ti...

Sorrio,
fecho os olhos
e a brisa trás-me o calor ameno e doce, de PRIMAVERA...

( Veruska Bastos)

PRIMAVERA AUTOR Fátima Francisco

                          2º lugar no concurso de poesia com tema : Primavera 
PRIMAVERA

Flores ...
Das mais variadas cores
Povoam o meu espaço
A minha imaginação...
É a Primavera acontecer
A mais bela Estação.
Ao olhar este campo de flores
Vejo a vida acontecer
Em tudo o que me rodeia
É obra da criação
De um Deus criador
Que tudo para nós criou.
Olho para o Céu
E faço uma oração:
Senhor ...
Que nos criastes
Olha por nós ...
Somos semente nesta Terra
Que eu vejo nascer em cada amanhecer
Em cada Primavera ....
Em cada flor neste campo florido...
Faz em nós nascer também
A Primavera da Paz
A Primavera da Vida
Da bondade e solidariedade.
Faz nascer em nós a verdade.
A Primavera da união
Que em cada Primavera
Cada homem e mulher
Seja cada vez mais irmão.

Fátima Francisco
22 de Maio de 2013.

quinta-feira, 23 de maio de 2013

PRIMAVERA POR JORGE FERREIRA


                                     1º LUGAR NO CONCURSO COM TEMA :PRIMAVERA
Primavera 
Ai a primavera, há tanto para falar desta estação do ano.
Há tanto para sentir e consumir, desde o doce aroma da rosa a florir, os belos canteiros de rosmaninho e no nosso caminho, tão lindo de ver o velho moinho movendo suas pás ao vento, fugindo da lança de um cavaleiro de triste figura qual dom Quixote, na busca incessante da sua e bem amada Dulcineia.
Primavera dos namorados que de mãos dadas partilham a beleza de um jardim florido e em mil promessas constroem castelos no ar.
Primavera do renascer, das aves migratórias e das andorinhas a voar nos céu com todo o esplendor.
Primaveras das árvores, das plantas, da semente a fecundar do renascer e viver de um singelo botão do amor.
Primavera de uma perfeita simbiose de aromas únicos e genuínos.
Do desabrochar da flor onde irão poisar abelhas que com sua arte nos irão brindar com o seu saboroso mel nos dando a degustar .
Primavera dos poetas, dos escritores verdadeira palete de cores, pintado em palavras e linhas nas folhas em branco os tons dos campos em flor.
Ai, primavera.......... que tanto nos faz amar!
AUTOR Jorge Ferreira

terça-feira, 14 de maio de 2013

PALAVRAS SOLTAS POR PAULINHA SANTOS

Palavras Soltas por Paulinha Santos 

Naqueles momentos em que cerro os olhos ....
Elevo o meu pensamento 
Ao encontro do meu " Eu "
Naquele momento em que eu visualizo ...
Um Mundo Lindo feito Arco-íris
Onde não há Guerras nem Vitimas
Onde a Injustiça não se conhece
As Doenças não existem .....
A maldade , inveja , revolta e tudo mais negativo não se cultiva
Nos Corações das pessoas ..
Naquele momento em que escuto o meu silêncio
E Visualizo um Mundo Sem Fome , Guerra , Doenças ,,Hipocrisias Etc...
Nesse momento o meu momento de Alegria !!
Meu Coração se Ilumina e minha Alma Sorri
Deste meu Mundo feito no Silêncio
Do meu momento
12/05/2013 Paulinha

AUSÊNCIA POR FÁTIMA ABRANTES


AUSENCIA

Sinto-me a desfalecer
Nada mais dói do que a tua ausência
Sofro calada no amargo da minha dor
Deixando meu coração com esta angústia
Sinto falta da tua presença
Da tua respiração junto a minha
Do teu singelo e calmo olhar
Que faz meu coração vibrar
Foi difícil ver-te partir
Ficar só com a tua ausência
Deixo ficar esta dor cravada
Em meu peito bem guardada
Deixo o vento me beijar
A chuva me molhar por saber
O quanto é impossível
De sentir teu abraço
De ouvir tuas palavras de carinho
E afeto
Entrego-me aos céus, ás estrelas e á lua
Tentando adivinhar por entre linhas
O que a vida me reserva….
Se amar ou sofrer.
Quero fechar os olhos….
Sentir tuas mãos nas minhas
Guiando-me para a felicidade
Meu coração esta fechado
Esperando que um dia
Alguém possa abri-lo novamente
Presa neste sonho
E na esperança de um dia
Poder reencontrar a felicidade!

De: Fátima Abrantes
14/05/2013

segunda-feira, 13 de maio de 2013

VISÃO ABSTRACTA POR JOSÉ SÁ

Visão abstracta

Ela está nua!
E eu sinto-me nu, com a sua presença
Leitura do meu cérebro,
abstracto na lua
Leitura ou visão, a minha sentença

… Visão abstracta
Imundice de lama gorda da vulgaridade
Não sei do que se trata
Mas é natural a confusão,
na minha idade

…Visão abstracta
É o ondulado ritual de gestos,
que a fêmea oferece
Visão de um peito triunfante
E tudo em abstracto acontece
Peito de cristal que contemplo e o cérebro trata
…Visão abstracta
Nos olhos inundados pela luxúria
E sem penúria,
abstracta é a visão de qualquer amante

… Visão abstracta

Ela está nua!
Nádegas em número par
Impossível imaginar,
que não és apenas a paisagem
Abstracta lua
Visão do mar
Abstracta água da humidade tua
O deserto onde te vejo, louca miragem

… Visão abstracta
Fenómeno humano
Onde sonho como mero espectador
Fixação amorosa que me atrai sem engano
Numa visão abstracta… Mas de amor

José Alberto Sá

terça-feira, 7 de maio de 2013

POEMA EM MIM POR FLORINDA DIAS


POEMA em MIM...

1 Poema...Poema em mim
1 Poema...de um belo jardim
1 Poema... me faz aqui
1 Poema... me leva até ti...

Num poema... eu escrevo
Em ti quero entrar
Num belo jardim
Flores... e amores quero
\\Cheirar...

Não desesperes amor
Na tua louca paixão
Estou aqui... procura-me
Deixa-me sentir teu
\\Coração...

Com que leveza
As palavras me vão saindo
Mais parece que estás aqui,
Meu beijo... ou meu corpo,
\\Sentindo...

Este amor que reclamo
Existe... ou não!
Não sei... será verdade?
Ou pura...
\\Imajinação
 

06/05/2013.
Florinda Dias...

ESQUECI-ME DE ESQUECER POR MARIA JOSÉ ROBERTO

ESQUECI-ME DE ESQUECER

Diz-me tu…
De que cor são os teus olhos?
Pretos, castanhos ou esverdeados?
Ou são da cor daquela água cristalina,
Que eu bebi no alto de um monte,
Sem nunca ter visto fonte igual…
Se reflectiu nos meus como cristal!...

Diz-me tu…
De que cor é esse olhar?
Tão profundo, ousado e barulhento,
Meigo, gostoso e sedento,
Que ofusca as estrelas a brilhar…
Quando á noite contemplo o luar,
E oiço apenas um silêncio que queima,
Com recordações e odores…
Que só falam de amores!...

Diz-me tu…
Porque sinto o coração desfalecer…
Quando os raios de sol se deitam,
Dormindo seus sonhos profundos,
Esquecendo todos os queixumes,
Trazendo á minha lembrança…
O gosto de nos teus braços morrer…
E a teu lado voltar a renascer!…

Diz-me tu…
Porque eu esqueci-me de te esquecer!...

Maria José Roberto

domingo, 5 de maio de 2013

PARTISTE POR MANUEL MANÇOS

PARTISTE
(às mães que já “partiram”)

Partiste! Era Outono, quando tu partiste.
Deixaste-me mais só do que já me encontrava.
Toquei a pobreza e fiquei mais triste,
enquanto outro mundo já a ti se abraçava.

Partiste em saudade, assim decidiste.
O crepusculo amava-te, por ti se arrastava
escutei o teu gelo, que já não ouviste,
em terno segredo os teus olhos fechava. 

Sustentei nos ombros estios e madrugadas,
lutos de andorinhas, trompas de alvoradas,
entravas na noite sem sonhos, sem norte.

Pelo teu “corpo virgem” a Terra apelava, 
o sino da aldeia, perdido, dobrava
escondia-te a luz, sem vida, sem sorte.

Manuel Manços

MÃE POR MARIA MORAIS DE SÁ

Mãe!

Do teu sopro
vim ao mundo
Na tua espera
o meu sopro!

Ai, quem me dera minha mãe
para o teu sopro tornar!
Do teu eu fizeste o meu
e eu sem nada para te dar!

Um ai, um ui na minha queda
e tuas mãos para me amparar!
E eu sempre aqui à tua espera
querendo o teu forte abraçar!

Nunca te agradecerei nada
porque isso não pode ser
pelo menos da-me a graça
de sempre contigo viver!

Só um dia que estejas longe
e eu não te possa alcançar...
Sabe tu que eu também hoje
as mãos aos meus tenho de dar!

Maria Morais de Sa
MMXIII
V

MÃE POR JOAQUIM BARBOSA

MÃE

Mãe não é só um ser singelo
Nem é uma qualquer mulher…
É aquela que responde ao apelo
Sempre que o filho quiser…

Mãe é aquela que gerou
No ventre, o fruto do amor
Por nove meses o carregou
E o veio a parir com dor.

Mãe é aquela que cuidou
Que ao filho deu formação
Que ensinou e educou
E que guarda no coração.

Mãe é mãe e há só uma
A mãe que cada um tem
Não se troca por coisa nenhuma
Mãe é nossa e de mais ninguém.

Mãe é a melhor mulher do mundo
Mãe vale o seu peso em ouro
Lembra-mo-LA a cada segundo
É o nosso maior tesouro.

Joaquim Barbosa

MÃE QUERIDA POR TELMA ESTÊVÃO

Mãe querida

O teu amor é sublime,
Eterno e inigualável,
É maior que o vazio, do infinito,
Não existe verbo que o possa descrever.
Mesmo antes de nascer,
Ainda no teu ventre, durante nove meses,
Já partilhava-mos, o amor,
Os pontapés e os enjoos.
Contigo cresci e aprendi,
A partilhar, todas as páginas da minha vida,
As alegrias e os gritos da dor.
Enxugas-me as lágrimas
E acalentas-me a alma, sempre que preciso.
O conforto das tuas palavras, os beijos
E os abraços, ninguém… sabe dar como tu.
Nas veias, acarretamos, o mesmo sangue,
Não existem distancias, nem segredos,
Permanece o agasalho, a compreensão e os afectos,
A ti devo e agradeço, tudo o que fui e o que sou.
Por seres tão querida,
Despertas-te em mim, a vontade
De desabrochar, outra vida,
Também hoje sou mãe
E sinto, tudo como tu…não sei bem descrever…
Mas tenho as mãos cheias, de luz e carinho,
Para oferecer à minha, prezada mãe e filha.
Telma Estêvão

terça-feira, 30 de abril de 2013

PENSANDO POR FLORINDA DIAS

Pensando...

Sem desistir vou,
Vou pensar... pensar positivo.
Preciso... preciso de
\\Abrigo

Abrigo que me acolha,
De noite... de dia
Onde me sinta... feliz
Fazer a vida ser festa... ser
\\Romaria...

Sonhando...
Olho o céu... Sim vou além,
Vejo Sol... a Lua, ou as estrelas
Corro... não vejo
\\Ninguém...

Lá longe...
Sei que algo me espera
Me assombra... me seduz
Vejo o raiar do dia
Vejo em mim... um raio de
\\Luz...

Vou segurar...
Segurar essa luz... em mim
O que quero da vida...?
Quero...
Doçura... Bondade,
De uma beleza sem
\\Fim...

30/04/2013
Florinda Dias...

PALAVRAS DO CORAÇÃO POR CELESTE LEITE


PALAVRAS DO CORAÇÃO

Escrevo sempre o que me vai no coração,
O que se agita fortemente no meu peito
E neste desenrolar de palavras já não me sinto vazia
Recordo imagens boas do passado
Que transfiro pro papel, adoço a boca com esse mel
Na noite ainda existe insónias
Mas já não me impedem de sonhar
E quero voltar a ser feliz,sorrir gritar de alegria
Poder um dia dizer, que estes olhos tristes agora brilham
Ao sabor das palavras e dos doces momentos passados
Espero vir a tarjar de flores de Primavera
De cor magenta, que me alimenta a alma
Rejubilo neste emaranhado de cores e me solto
Desprendo-me do passado, das aguas parada
Estagnadas na foz e da minha voz calada
Agora rumo a uma planície sob o calor da paixão
E deixo que as palavras tentem o meu coração.

Celeste Leite

SINTO-ME ASSIM POR CELESTE LEITE


SINTO-ME ASSIM...

Hoje apetecia-me dar-te um beijo
Sentir o meu corpo junto ao teu
Sentir os teus braços a aconchegar-me
Apertando-me bem forte,
Sentindo o calor do teu peito nas minhas costas.

Hoje apetecia-me aninhar-me com paixão
Sentir as batidas do teu coração
Esquecer todas as inseguranças que há em mim
Sentir assim o meu espírito renovado
E brindar a este sentimento bom que é meu e teu.

Celeste Leite

AO OLHAR POR MILA LOPES


AO OLHAR

A NATUREZA
AS MINHAS ENERGIAM
RENOVAM-SE
TODO O MEU SER AGRADECE
OLHO O CAMPO
A RIBEIRA A CORRER
O CANTO DOS PÁSSAROS
A LUZ DO SOL
SINTO VONTADE
DE ABRAÇAR TUDO
É TÃO BOM
SER SIMPLES
SER FELIZ
E VERDADEIRA
VIVER POR INTEIRA
TODOS OS SENTIMENTOS
QUE TENHO EM MIM.

MILA LOPES
30/4/2013

NÃO TE CORROMPERAM POR HUGO AC OLIVEIRA


NÃO TE CORROMPERAM

Disseram-te um dia
que não podias ser
o que bem entendesses
mas sim o que te pedissem
para que tu fosses alguém
e tu disseste não, recusaste
e foste assim posto de lado.

Teu coração, selvagem,
revelou teu lado natural
de não ser controlado
nem facilmente obedecer
ao que para ti não era
contra teus valores e leis.

Ignoraste as ofensas,
o afastamento que sofreste
por aqueles que te queriam
mudar e moldar a seu prazer
tornando-te persona non grata,
sem perceberem que ao fazê-lo
mais te fortaleciam por dentro
por não te corromperem a alma
nem quebrarem teu coração,
pois nunca foste, nem serás
capaz de enveredar pela via
dos que pisam e abusam
dos que não são de sua condição!

Hugo Oliveira © (mais em www.facebook.com/mywordsonthepaper visitem, comentem e partilhe com vossos contactos. Obrigado)

SOU SONHADORA POR NAZARÉ GONÇALVES


SOU SONHADORA
POR: NAZARÉ G. (NANÁ)

A saudade mata-me na corrente desenfreada
Tenho sede do teu cheiro sensual
Tenho fome da poesia, do amor, do espaço
Saudades dos teus olhos perfumados
Do teu beijo do teu abraço!

Na corrente ainda sinto o teu perfume
Sedenta de ti do teu amor do teu amaço
Do beijo de marfim perdido no espaço!
Saudade de ti poesia tudo o que perdi!

Tenho sede e fome do sensual
Sinto um pavor medonho
Quando contigo sonho
A saudade levou a poesia e o meu sonho!

Quis prender o tempo no meu sonho
E viver tão só de momentos
Como vivem as nuvens no céu
Mas esses momentos já esqueci
Só sinto saudades das experiências que não vivi!

Fui distraída o bastante
Só pensei no amor e carinho constante
Algumas vezes fugi pro destino não enfrentar
Tantas vezes ao escrever poesia, sorria pra não chorar!

Sentia amor por quem tanto me mentiu
Só clarão nas trevas refulgiu
Tantos beijos minha boca queimavam
Como tanto foi o sol que de mim fugiu!

Os sonhos roubaram -me a realidade
Porque a realidade impedia-me de sonhar
Mas o amor tanto me fez sofrer…
Morri pro amor, porque não estava nos teus sonhos!

ERÓTICO SER POR JOSÉ DE SÁ


Erótico ser

Sou arte erótica
Sou a história dos olhos
A importância de estar vestido
Sou feito de cores ou o preto da Gótica
Sou Narciso ou nu, um retrato de folhos
Anatomia do amor... Querido

Sou arte perversa
Sou manequim
A poesia que violo
Com entranhas na conversa
Sou a afirmação do sim
O não é a misera birra que atiro ao solo

Sou corpo nu
Sou a doentia palavra, a febre do amor
O estimulante e apetecido pecado sem tabu
Com paixão entre carnes com odor
Sou o tecido que se mistura e confunde
Por entre nossas vontades
Quando se funde
Tu e eu... Eternidades

José Alberto Sá

PORTUGAL O PAÍS DOS GRANDES POETAS POR ANGELO AUGUSTO


PORTUGAL O PAÍS DOS GRANDES POETAS

Desde o mestre Camões, que não há igual,
Ao Bocage anedótico e eloquente,
Tendo a Flor Bela Espanca, divinal,
E António de Quental sempre presente.

Entre o sábio Fernando Pessoa em mente,
Mágicos da poesia em Portugal,
Que escreveram em alma, gentilmente
Em jeito e forma sempre magistral.

No mundo da poesia têm sua história;
Que ficará no tempo da memória,
Em que suas obras se perpetuarão.

Cada amor, sentimento em coração;
Representado nos mais belos versos,
Nos trocadilhos, de cada um, diversos.

ANGELO AUGUSTO

quarta-feira, 24 de abril de 2013

ALTER-EGO POR HUGO A.C. OLIVEIRA

ALTER-EGO

Subisse eu ao alto de mim,
ao alter-ego do meu ser
e talvez avistasse, além daquilo
que meu olhar consegue alcançar
para perceber que ainda posso ser,
se eu assim o desejar e quiser,
o que um dia fui capaz de almejar.

Recalcado e interiorizado
tem sido o meu caminho até aqui,
mas, chega de imposições, proibições
e outras coisas que mão me permitem
chegar a um bom rumo, visto como fim
no qual realize os desejos e ambições
que minha mente idealizou,
é que já me fartei de tantas privações!

Amor-próprio e auto-estima
sempre valeram a quem neles acredita,
só que quando as portas se fecham
é difícil acreditar que por alguma sorte
tudo possa mudar na nossa vida,
restando apenas entregar-se ao desespero,
só que isso, não é do meu feitio,
pelo que enfrento a luta, mesmo que custe
pois quero atingir, o que há muito espero!
Hugo Oliveira © (mais em www.facebook.com/mywordsonthepaper visitem, comentem e partilhe com vossos contactos. Obrigado)

domingo, 21 de abril de 2013

DEFICIÊNCIA NA MINHA ALMA POR SOL FIGUEIREDO

Deficiência na minha alma!



Viu? Sim, eu sou mesmo deficiente...
Deficiente total, sem afeto!
Está claro, já assim tão evidente...
Enfim, meu amor não é nem completo!

Eu até sei que minha deficiência,
Que nunca foi apenas fisicamente...
Já que em mim foi a única resistência,
Aquela que é a de abrir minha mente!

Não sou perfeita pelo que passei...
Contudo, preconceito nunca eu tive,
Tanto que hoje eu sei, que nem nada sei...

Doente meu coração, sofre dor...
Minh’ alma está então deficiente...
Porque ela ainda não tem o seu amor!

© SOL Figueiredo
12/07/2011 – às 15:15h.
Reeditado em 20/04/2013